Família, Sobre mim

#18

Estas duas semanas têm sido tão preenchidas que a oportunidade para escrever não tem aparecido. Fomos passar o Natal a Lisboa e soube-me pela vida! Matei as saudades da minha afilhada e de algumas pessoas da minha família que eu já não via há demasiado tempo. Conheci o Liam, o bebé que o meu primo e o marido – sim, são gays, casados e vivem na Bélgica, um país onde são apenas mais um casal – adoptaram, apresentei finalmente o meu padrinho e a mulher ao meu homem e ainda deu para irmos ao cinema no dia 25 à noite e dar um passeio pela Wonderland no dia 26.

O homem nunca tinha andado de avião e adorou a coisa 😁 Foram só 45 minutos, o que realmente compensa as três horas e meio que levamos de carro de cada vez que vamos a Lisboa; fora as portagens e o gasóleo. É por isso que já andamos a ver os preços das passagens para a Páscoa. Mas como nem tudo é bonito, o avião nunca partiu à hora prevista. Longe disso 😭

Agora é usar estes dias para curtir o fim do ano e aproveitar os saldos para procurar um outfit para o casamento que não tarda aí 😁

Anúncios
Padrão
Desabafos, Sobre mim

#17

Estou à espera que 2016 termine. Preciso que um ano novo comece e que seja mais calmo que este, que me traga uma certa tranquilidade e harmonia interior, mas também ao meu redor.

Não é que não tenha gostado deste ano, pelo contrário. Foi o ano. Aquele em que ganhei a estabilidade emocional que tanto procurei, aquele amor para a vida, com quem queremos casar, ter os filhos e viver o sonho a dois, da união e da intimidade. Pelo menos é assim para mim. 

Mas foi um ano de grandes mudanças exteriores: de cidade, de casa, de trabalho, de pessoas, dos hábitos que nos preenchem os dias. E depois esta coisa do Amor que se julga que é suficiente, mas com a distância descobrimos que afinal também precisamos daquele amor da família e dos amigos.

Preciso que o próximo ano me permita estar mais com os meus. Que me traga a confiança para recuperar amizades que deixei em stand by porque não soube conciliar todas as mudanças. Preciso que o Amor que nos une seja mais seguro de si – é isso que nos vai permitir avançar nos passos que queremos dar. E que 2017 seja sinónimo de paz, afectos, delicadeza para com os outros e que a harmonia flua. É essa a palavra que preciso: harmonia. 

Padrão