Desabafos, Sobre mim

#44

Tenho que acreditar mais em mim, nas minhas capacidades. Porque eu sou capaz, eu consigo, eu vou longe naquilo que me tenho destinado.

Isso não significa só estar no lugar certo, com as pessoas certas. Também parte de mim e da minha postura, da confiança que deposito em mim e transmito aos outros.

É um conjunto de factores que está na altura de começar a trabalhar, tenho que me obrigar a mudar se quero ir além.

Anúncios
Padrão
Lisboa, Sobre mim

#43

Já está na altura de escrever um pouco sobre o regresso à minha Lisboa. Já tinha saudades desta vida agitada, do trânsito, dos barulhos, do movimento, das pessoas, da mentalidade aberta que aqui se vive.

Alugámos um apartamento que precisou de ser pintado e mais uma semana e já lá estamos a morar. Nada contra a minha mãe nos estar a aturar, mas nós é que já estamos fartos de a aturar a ela 😂

Ele está a tirar um curso que termina entretanto, para poder começar logo a trabalhar nessa área nova. Quis mudar e eu encorajei, já estava na hora de ele deixar os receios de parte e arriscar, ser mais corajoso e aventureiro. E eu fiz o mesmo.

Deixei as Letras de parte e virei-me para a Estética. Uma mudança enorme, eu sei 😂 Já tinha o curso de Esteticista completo, por isso procurei um espaço para trabalhar. É uma área bonita, diversificada e que muito me agrada, mas é preciso batalhar muito, saber vender os meus serviços, ser amiga, ouvinte e conselheira das clientes. Aborrece-me esta fase de ter pouca experiência e poucas clientes. Também não estou muito perto de casa, o que significa que tenho que procurar outro espaço mais perto e que compense mais. Não é a perfeição que eu quero, mas a seu tempo sei que este período chato vai valer a pena ❤

Padrão
Desabafos

#41

Ultimamente tenho pensado muito que não paro para apreciar os bons momentos do meu dia-a-dia. Acho até que não sei bem como fazê-lo. Quando estou a trabalhar quero que a hora de ir embora chegue rápido. Quando estou em casa há demasiadas tarefas a fazer e só relaxo quando me sento no sofá a ver tv. Quando estou no ginásio perco tempo a pensar no que vou fazer quando sair dali.

Não me é difícil descontrair, muito pelo contrário, são muitas as formas que encontro para relaxar e descomprimir, alhear-me completamente do que me rodeia. Tenho até a facilidade de não ser nada dependente do telemóvel, tanto que em casa está sempre no silêncio e só olho para ele quando quero ver as horas.

Mas acho que ainda não aprendi a usufruir, a agradecer a vida. Ainda me falta viver na simplicidade, na paz do que me rodeia, na luz do que é verdadeiro e puro. É uma caminhada, eu sei. É um desafio, sobretudo porque não vivo sozinha comigo mesma e as influências de quem convive comigo estão presentes a todo o instante.

Mas é uma boa meta para o próximo ano: honrar o amor e a luz, a verdade e a compaixão. Reconhecer no próximo a alma que habita em mim. ❤

Padrão
Desabafos, Sobre mim

#22

Cresci com a instrução de que temos que respeitar a hierarquia no trabalho. Sempre vi os meus pais como profissionais que respeitam os patrões, mesmo que depois se queixem da falta de brio dos mesmos. No entanto, a diferença entre eu e os meus pais é que eles são duas pessoas que nunca deixaram de dizer aquilo que pensam, nunca deixaram de impôr os limites aos patrões e colegas, nunca se oprimiram. E eu queria ser assim. Não sei a quem saio – a eles não é de certeza – mas irrita-me este meu jeito de ser, de ficar calada quando algo está mal, de ser demasiado boazinha, educada e ajudar mesmo quando não devia.

Ah, quero tanto mudar isto! Quero ser má – não em maldade, mas má num sentido figurativo. Quero que me respeitem, que não julguem que eu não tenho voz naquilo que faço. Quero deixar de me preocupar com aquilo que os colegas possam pensar se falar mais alto ou dizer um não.

Em vez disso opto por não responder, ignoro e ponho para trás das costas. Não deixo que aquela pessoa ou aquela situação me afecte. É certo que é uma maneira diferente de lidar com as coisas, mas até que ponto é melhor que a maneira de ser dos meus pais? Talvez a principal diferença seja que pessoas como eles deixam bem claro que a eles ninguém lhes pisa. Já eu, fico fodida por dentro, mas assim que saio daquele ambiente o assunto ficou para trás. No entanto, sinto que devia deixar bem claro que a mim também têm que me respeitar, sempre!

A vida é uma constante aprendizagem, mas às vezes podia facilitar um bocadinho.

Padrão
Desabafos

#20

Ainda bem que eu não ganho dinheiro com este blogue nem dependo dele para isso, senão estava na miséria com as minhas ausências 😂😂😂

Esta semana percebi o que realmente significa resiliência. Foram tantas merdinhas pequenas a acontecer que não sei como não me passei da marmita 😭

Não sei se é da idade, da maturidade ou, simplesmente, se estou num processo de mudança inconsciente. Sei sim que me sinto mais calma e tranquila, mesmo perante alguns obstáculos que estragam os dias. Estou forte, decidida e não me deixo ir abaixo. Por vezes os abalos são inevitáveis, mas não posso deixar que isso defina a maneira como me sinto ou como quero viver a vida.

Comecei o ano com a alteração da minha morada, de Lisboa para esta terrinha. Tratar do cartão do cidadão foi rápido, a inscrição no centro de saúde foi na hora e só falta avisar o banco e tratar do livrete do carro – aqui sim, vou ter que pagar e bem 😢 Agora é aguardar pela consulta na nova médica e pedir para fazer os exames necessários para termos o OK de fazermos bebés 😂 Não é para já que queremos engravidar, primeiro há que gozar bem estas férias de verão, mas depois disso já não há desculpa.

Talvez esta nossa decisão nos esteja a preparar aos dois para essa mudança que há-de vir. Noto diferenças de comportamento entre ambos, sobretudo a paciência e a ausência de irritações por disparates do dia-a-dia. Pequenas coisas que o cansaço dos trabalhos e a rotina semanal nos faziam disparatar um com o outro, são agora ignoradas em prol de uma relação mais cúmplice e segura de si.

Padrão
Ginásio

#6

Demorou um bocadinho, mas lá me increvi num ginásio. Esperei que o homem terminasse a permanência obrigatória com o ginásio onde estava e ontem fomos fazer a nossa inscrição no Clube do Rio. É um espaço que foi remodelado recentemente, por isso tem equipamentos novos e várias salas onde são dadas as diversas aulas. No meu caso interessa-me experimentar yoga, pilates e zumba pela primeira vez.

Apesar de sempre ter feito desporto, nunca frequentei um ginásio e confesso que me assustava um pouco a ideia de imensas pessoas juntas no mesmo espaço, tudo ali a suar em bica. Sou um bocadinho claustrofóbica, prefiro o ar livre :mrgreen: Correr, andar de patins ou bicicleta e nadar (porque é água) é mais a minha praia. Mas quero superar algumas ideias pré-concebidas que tenho dos ginásios e começar a cuidar do corpo de outra forma. Numa primeira fase quero continuar com a piscina, descobrir o yoga e o pilates de uma forma terapêutica. Depois, porque apesar de ser magra a idade não perdoa, quero tonificar e definir aquelas zonas que toda a mulher se queixa: braços, barriga, rabiosque e pernas. Isto é um plano muito bonito na teoria, a ver vamos como corre a prática 😁

Apanhámos uma promoção e por 33€ vou frequentar o ginásio 3 vezes por semana, no horário que eu quiser, com direito a avaliações regulares com um PT, planos de treino e consultas de nutrição. Não acho caro, mas por 33€ é bom que eu não falhe 😂 Me aguardem.

Padrão