Desabafos, Sobre mim

#22

Cresci com a instrução de que temos que respeitar a hierarquia no trabalho. Sempre vi os meus pais como profissionais que respeitam os patrões, mesmo que depois se queixem da falta de brio dos mesmos. No entanto, a diferença entre eu e os meus pais é que eles são duas pessoas que nunca deixaram de dizer aquilo que pensam, nunca deixaram de impôr os limites aos patrões e colegas, nunca se oprimiram. E eu queria ser assim. Não sei a quem saio – a eles não é de certeza – mas irrita-me este meu jeito de ser, de ficar calada quando algo está mal, de ser demasiado boazinha, educada e ajudar mesmo quando não devia.

Ah, quero tanto mudar isto! Quero ser má – não em maldade, mas má num sentido figurativo. Quero que me respeitem, que não julguem que eu não tenho voz naquilo que faço. Quero deixar de me preocupar com aquilo que os colegas possam pensar se falar mais alto ou dizer um não.

Em vez disso opto por não responder, ignoro e ponho para trás das costas. Não deixo que aquela pessoa ou aquela situação me afecte. É certo que é uma maneira diferente de lidar com as coisas, mas até que ponto é melhor que a maneira de ser dos meus pais? Talvez a principal diferença seja que pessoas como eles deixam bem claro que a eles ninguém lhes pisa. Já eu, fico fodida por dentro, mas assim que saio daquele ambiente o assunto ficou para trás. No entanto, sinto que devia deixar bem claro que a mim também têm que me respeitar, sempre!

A vida é uma constante aprendizagem, mas às vezes podia facilitar um bocadinho.

Anúncios
Padrão
Desabafos

#11

Até 14 de Outubro toca a trabalhar mais 1h por dia. Ah, e sábados de manhã, logo às 7h para abrir a pestana! E o patrão mete assim um aviso afixado, sem perguntar se a malta pode, como se uma pessoa não tivesse vida própria fora do trabalho. 

*Apetece mandar para aquele sítio!!

Padrão
Desabafos

#10

Desde que arranjei o trabalho onde estou, em Maio, que deixei de procurar ofertas na minha área. Decidi dedicar-me a este emprego e aplicar-me, até porque ninguém gosta de ser despedido por não saber fazer as coisas ou por não agradar ao patrão por algum motivo.

No entanto, apesar de gostar muito das colegas (somos 10 mulheres… e muita mulher junta não dá bom resultado 😂) e até dos patrões e apesar de já me sentir à vontade com as tarefas, só há uma coisa que me estraga a moral de vez em quando: uma colega com um feitio de merda!! Raio da gaja que tem de atazanar o juízo a uma pessoa. Irrita-me porque eu estou quieta no meu canto a trabalhar e ela, em vez de estar concentrada só no trabalho dela, está constantemente a ver o que as outras fazem para depois criticar ou apontar o que estamos a fazer mal (na cabeça dela).
Santa paciência, detesto pessoas assim, más, que fazem por prejudicar os outros. No início ainda procurava conversar com ela, mas à medida que o tempo foi passando e comecei a perceber como funciona e o tipo de pessoa que é, afastei-me e só lhe falo quando é necessário. É triste porque é uma moça nova mas com um feitio tão azedo e uma maneira de ser sempre stressada que aos 40 vai parecer uma velha ressabiada 😛

Consola-me saber que as outras colegas também não gostam dela e que estão atentas. Agora é saber lidar no dia-a-dia com uma pessoa assim de maneira a que não me desconcentre nem me desmotive.

Padrão